Tire o pé do chão e as gordurinhas do corpo

Uma das brincadeiras que mais reunia as crianças na rua ou da escola era pular corda. Competição de quem pulava mais ou o conhecido “foguinho” – quem conseguia entrar ou sair sem encostar na corda – agitavam a molecada.

E quem diria que esta simples brincadeira ajudaria os adultos a queimar calorias e perder peso?

Para aquelas e aqueles que estão querendo diminuir alguns números na balança, este pode ser um ótimo começo. “Pular corda ajuda a afinar a silhueta, tonificar os músculos e diminuir o estresse. Além disso, trabalha o sistema cardiovascular e proporciona intensa queima calórica”, afirmou Claudio Rocha, gerente da Academia 24h.

Professora Fabíola Ramos, da Unidade Premium Alphaville
Professora Fabíola Ramos, Unidade Premium Alphaville

Adeus celulite

O exercício fortalece braços, pernas, bumbum e abdômen e também ajuda a combater a indesejável celulite. “O movimento de sobe-e-desce sem parar e o impacto estimulam a circulação do sangue e a produção de suor, eliminando as toxinas e amenizando o problema”, garantiu Claudio.

Fácil e gostosa de praticar, a atividade pode eliminar em meia hora até 400 calorias, dependendo da intensidade e do metabolismo de cada pessoa.

Professor Rafael Leite, da Unidade Premium Alphaville
Professor Rafael Leite, Unidade Premium Alphaville

Hidratar e alongar

Saltar para frente, para trás, com os dois pés ou com um só. Não importa. Pular corda é bem dinâmico e desenvolve um ótimo condicionamento físico. Basta ver que muitos atletas, como boxeadores e praticantes de artes marciais, aderem à modalidade em seus treinamentos.

Por se tratar de um exercício aeróbico, é válido estar com uma garrafinha de água sempre à mão. Mantém o corpo hidratado e ajuda a emagrecer.

Alongar também é uma boa recomendação, antes e depois da atividade, para evitar lesões e dores. Esta é a hora de relaxar e esticar.

Alto lá!

Quem tem algum problema nas articulações dos membros inferiores, como tornozelo, joelho ou quadril, ou sobrepeso deve evitar a corda, em função do impacto.

Na dúvida, consulte um médico.

Posts relacionados

Deixe um comentário