Como vencer a depressão com as atividades físicas

#

Não, a depressão não é uma frescura. É uma doença séria que afeta 5,8% da população brasileira – algo em torno de 11,5 milhões – segundo números da Organização Mundial da Saúde (OMS).

O tratamento deste tipo de transtorno exige acompanhamento médico, uso de medicamentos e terapias, entre as quais, a atividade física. Sim, nossos queridos exercícios fazem com que o organismo libere endorfina e serotonina, os neurotransmissores que dão a sensação de prazer e bem-estar.

Atividade física, grande aliada do coração

Como os exercícios podem ajudar?

Um conjunto de fatores influencia na autoestima e no combate à depressão, como o resultado conquistado, ganho de massa muscular ou perda de peso. Ao atingir estes objetivos, logo a pessoa se sentirá confiante e procurará seguir em uma crescente, com novas metas e estabelecendo novos desafios.

Psiquiatras reforçam ainda que a atividade física também é benéfica no tratamento de outros problemas como a síndrome do pânico, a ansiedade e o estresse.

Comece pelo começo

Pessoas com depressão devem consultar um médico e ver quais as recomendações para seu caso, afinal, cada um tem suas características e necessidades. Mas com os exercícios físicos, mais do que intensidade, a regularidade terá o melhor custo-benefício.

Atividades físicas por, pelo menos, 30 minutos por dia e três vezes por semana. Com o tempo e acompanhamento de profissionais, o progresso acontecerá.

Caminhar faz bem para saúde do corpo e da mente 

Vamos falar sobre depressão

Ainda que existam tratamentos eficazes e conhecidos para depressão, menos da metade dos afetados no mundo recebe tais tratamentos. Os obstáculos ao tratamento incluem a falta de recursos, a falta de profissionais e o preconceito associado aos transtornos mentais.

Para saber mais sobre a doença, tipos, sintomas e tratamento, acesse o site das Nações Unidas sobre o assunto, que é tema do Dia Mundial da Saúde de 2017. Clique aqui.

Posts relacionados

Deixe um comentário